Sessões técnicas

Os 10 trabalhos mais pontuados

 

 


 

 




Além das sessões técnicas e temáticas programadas para os três dias do 49º Congresso Internacional de Celulose e Papel, o público presente ao evento teve a oportunidade de conhecer os 10 trabalhos maiores pontuados.

“O Congresso é fundamental para dar visibilidade aos trabalhos que são desenvolvidos pelos técnicos do setor. Acredito que essa troca de informações vem acontecendo ao longo dos anos, porque as pessoas que estão no Congresso são capacitadas e têm muito conhecimento para transmitir”, comenta Jorge Luiz Colodette, presidente do Congresso.

Saiba mais sobre os trabalhos que obtiveram as maiores notas:

Tema: Programa de Controle da Qualidade da Madeira na Eldorado Brasil Celulose
Tiago Edson Simkunas Segura, Tecnologia e Inovação, Eldorado Brasil

“O trabalho de Qualidade da Madeira (QM) é realizado anualmente na Eldorado. O objetivo inicial deste trabalho era selecionar clones e fazendas que fornecessem madeira com maior qualidade para a produção de celulose e, consequentemente, determinar quais materiais não são interessantes. Porém, percebemos que poderíamos utilizar os resultados deste trabalho para prever alguns resultados industriais e gargalos que poderiam ser encontrados pela fábrica. Fizemos isso com bastante cuidado, uma vez que anualmente a Eldorado consome mais de 5 milhões de metros cúbicos de madeira, baseando-se inicialmente nos resultados do QM 2013 para prever os resultados industriais de 2014. Os primeiros resultados foram bem interessantes. Um ano depois fizemos alguns ajustes e aperfeiçoamos as análises do QM 2014, previmos a produção mensal de celulose, o consumo específico de madeira e a produção da fábrica. Os resultados nos impressionaram, uma vez que os gargalos previstos realmente apareceram e acertamos o consumo específico de madeira no ano. Em relação à produção, chegamos bem próximos, com um erro de pouco mais de 5 mil toneladas de celulose, equivalente a apenas um dia de produção.”


Tema: Efeito da Lavagem de Pasta Marrom sobre Subprocessos e Economia em Linhas de Fibras
Riku Kopra, especialista em RDI do Laboratório de Fibras da Universidade de Ciências Aplicadas Mikkeli

“Lavagem de polpa marrom era um assunto popular nos anos 1980 e 1990. No entanto, melhorar a eficiência de lavagem não era prioridade e não estava sendo medida, a não ser pela quantidade de condutividade da água e dos filtrados. Atualmente, há um interesse renovado na indústria de celulose voltado à lavagem de polpa marrom e para o controle em tempo real do processo de lavagem, já que exerce efeito direto sobre o meio ambiente, a qualidade do produto final e os custos relacionados ao consumo de energia e produtos químicos. Ao mesmo tempo, os preços de matérias-primas como madeira, produtos químicos e energia estão subindo e mudanças na legislação dão maior suporte ao uso de fontes de energia renováveis. Minha pesquisa, portanto, dá continuidade a duas dissertações acadêmicas que estudaram mecanismos básicos de lavagem de polpa celulósica, em que foram descobertos os componentes essenciais para perdas na lavagem. Descobriu-se que estes componentes estão correlacionados ao teor de sólidos secos dissolvidos.”


Tema: Avaliação da sulfidez do licor branco na qualidade da celulose kraft
Lucas Recla Lombardi, Preparo de Madeira, Klabin

“O estudo envolveu análise da capacidade do sistema de make up de sulfato de sódio para reposição de S no processo. Após isso, foi acordado internamente o teste em planta industrial.  Foram utilizados métodos internos e normas Tappi para mensuração de algumas variáveis de processo, como sulfidez do licor branco e do licor verde, variáveis de qualidade da polpa celulósica e rendimento gravimétrico de digestor. Os resultados apontaram para melhoria de qualidade da polpa marrom e consequentemente da celulose branqueada nos aspectos de viscosidade e também índice de tração. Por outro lado, tivemos perda de geração de vapor na caldeira de recuperação, o que buscamos contornar com maior geração nas caldeiras de força com a utilização de biomassa. De forma geral o balanço de qualidade e econômico foi positivo.”


Tema: Aglutinantes à Base de Acetato de Vinilo para Aplicações Economicamente Vantajosas
Jeffrey M. Leitinger, gerente Global, Assistência Técnica & Desenvolvimento de Aplicações em Papéis da Dow Coating Materials

“Há quase 50 anos, a Dow Chemical Company vem produzindo ativamente aglutinantes para aplicações de papéis utilizados na indústria papeleira, mas os aglutinantes Vinil Acrílico (VA) e Poli Acetato de Vinila (PVAc) estiveram primariamente presentes nos mercados norte-americanos. O significativo aumento global da disponibilidade de gás natural deu suporte à expansão de aglutinantes que fazem uso do monômero Acetato de Vinila (VAM) como principal matéria-prima. É esperado que o custo destes aglutinantes mantenha-se baixo e estável, pelo menos dentro de um horizonte de futuro previsível, devido à grande expansão do gás natural, ao contrário de outros aglutinantes para aplicações que podem apresentar bruscas flutuações em relação às demais indústrias que utilizam matérias-primas de polímeros similares. Aplicações em papel que utilizam aglutinantes do tipo VA e PVAc oferecem muitas vantagens, de modo que a Dow Chemical quis disponibilizar estes benefícios aos produtores de papéis da América Latina e da América do Sul por meio da produção local destes produtos. Múltiplos métodos de teste foram empregados visando quantificar as vantagens dos aglutinantes  de VA e PVAc, incluindo alguns que eram relativamente desconhecidos para os produtores de papel e papelão dessas regiões. ”


Tema: Caracterização Química e Estrutural De Xilanas Oriundas de Bagaço de Cana de Açúcar e Palha de Cana de Açúcar
Danila Morais de Carvalho, pesquisadora da Universidade Federal da Viçosa (UFV)

“O estudo foi realizado em uma parceria entre pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa (Brasil), do Instituto Real de Tecnologia (Suécia) e da Universidade de Aveiro (Portugal). As xilanas extraídas das biomassas foram analisadas por metodologias especializadas de identificação de compostos orgânicos como ressonância magnética nuclear, espectroscopia do infravermelho, análise de ligações glicosídicas, entre outras. A elucidação das estruturas nativa das xilanas de bagaço e palha da cana-de-açúcar é totalmente inovadora. Até a realização desse estudo não se sabia a configuração da cadeia de xilanas dessas biomassas, o que em muito limitava seu uso. O estudo deve representar, portanto, um avanço no entendimento do comportamento químico dessas xilanas em processos químicos.”


Tema: Um Estudo de Caso - Processos de Tratamento de Efluentes e à Destinação Final do Lodo Secundário Biológico
David C. Meissner, pesquisador da DCMEvergreen – Assessoria Técnica Ambiental

“Inicialmente, efetuei uma revisão da bibliografia existente sobre as formas de manuseio e destinação dos resíduos sólidos nas indústrias de papel e celulose. A partir desta revisão, em 2012, estudei as diversas opções técnicas inicialmente escolhidas e acrescentei ao estudo de caso a tecnologia que vinha sendo utilizada por uma determinada fábrica. Nessa planilha, foi calculado um valor presente total, somando os investimentos iniciais com uma estimativa dos custos operacionais. Em 2015, criei uma nova planilha com os valores foram corrigidos e atualizados em dólares. Após fazer isso, efetuei várias simulações com o intuito de avaliar e comparar as opções estudadas, em relação a seus aspectos tecnológicos, tentando identificar qual opção seria melhor para reduzir tanto a quantidade de lodo produzida pela indústria quanto os custos operacionais com seu manuseio. Procurei observar essa integração da tecnologia nos processos de tratamento de efluentes bem como as opções para a destinação final do lodo biológico secundário e os processos relacionados ao seu manuseio.”


Tema: Uso da Madeira de Eucalipto na Recuperação de Rios: Projeto Renaturalize
Carolina Fernandes Pinto, pesquisadora da Aplysia e mestre em Gestão de Recursos Hídricos pela Queen Mary University of London

“Um estudo piloto de dois anos foi realizado na Bacia do Rio Mangaraí, que, devido a degradação antrópica, vem sendo responsável por uma grande descarga de sólidos suspensos que são carreados para a ETA que abastece a Grande Vitória. São milhares de reais gastos mensalmente para tratar a água com altos níveis de turbidez e, em alguns casos, as estações tiveram de ser paralisadas por conta do grande aporte de material no período chuvoso. Foram instalados, no leito do rio, troncos e galhos de eucalipto doados pela Fibria, seguindo método inglês usado nos tributários do rio Tamisa. A qualidade da água, a hidrogeomorfologia do leito do rio, a retenção de sólidos, a retenção hidráulica, a biodiversidade e a inclusão social foram avaliadas antes da instalação da madeira e ao longo do projeto. Observamos uma redução significativa nos níveis de turbidez da água no trecho renaturalizado e aumento da oxigenação. Também houve um aumento qualitativo da diversidade hidromorfológica do canal.”


Tema: Engenharia de Materiais – Uma Ferramenta Essencial no Contexto Da Engenharia de Manutenção
Apresentação Edgard Gabriel Seidner – Consultor Autônomo

A iniciativa do trabalho surgiu pelo fato do tema estar inserido no segmento da Engenharia de Manutenção, área que possui uma importância relevante no contexto do atingimento das metas de lucratividade objetivadas por empresas de grande porte como as inseridas no setor de celulose e papel. O trabalho traz informações técnicas de como garantir uma maior disponibilidade dos equipamentos, dentro das respectivas plantas industriais, e, neste sentido, como proporcionar uma melhor satisfação do cliente, além de se obter redução dos custos de manutenção. Basicamente são apresentadas as atividades de análise de falhas e seleção de materiais em componentes de equipamentos industriais. Também são abordadas as metodologias utilizadas para cada uma das atividades mencionadas.”


Tema: Análise de Ecoeficiência da Produção de Celulose
Sueli Aparecida de Oliveira, Fundação Espaço ECO/Socioecoeficiência

“Entre 2011 e 2013, foram desenvolvidas análises de desempenho econômico-ambiental (segundo a perspectiva de Life Cycle Assessment - LCA), de três unidades da Fibria, dedicadas à produção de polpa de celulose. O trabalho foi realizado pela Fundação Espaço ECO® (FEE®), por solicitação e com a participação da Fibria, com a finalidade de identificar o desempenho ambiental e econômico da produção de celulose nas fábricas localizadas em Jacareí (SP), Três Lagoas (MS) e Aracruz (ES) e identificar as melhores práticas para produção de polpa de celulose, considerando a aplicação desta celulose na produção de papéis dos tipos Tissue, Woodfree Coated (WFC) e Woodfree Uncoated (WFU) e o descarte do papel Tissue pós-uso, via efluente doméstico. O projeto identificou pontos de melhoria ao longo do ciclo de vida das alternativas em estudo (as três plantas produtivas de celulose), informando em quais etapas da cadeia de valor concentravam-se os impactos verificados e em quais estágios do ciclo de vida eram observados os impactos mais expressivos.”


Tema: Uma Nova Visão do Branqueamento de Polpa Kraft de Eucalipto com Ozônio em Média Consistência
Valéria Juste Gomes, doutoranda em Agroquímica – Celulose e Papel, Laboratório de Celulose e Papel da Universidade Federal de Viçosa (UFV)

“A tecnologia de branqueamento com ozônio tem sido empregada desde os anos 1990, quando surgiu a pressão ambiental e o uso de sequências totalmente livres de compostos à base de cloro (TCF – Total Chlorine Free), livres de cloro elementar (ECF – Elemental Chlorine Free) e com baixíssimas quantidades de dióxido de cloro (ECF-light). O branqueamento com ozônio é uma tecnologia reconhecidamente apropriada para atender a estes processos, mas sofre de ineficiências que ainda precisam ser resolvidas. A iniciativa de realizar este trabalho foi no sentido de melhorar a eficiência do ozônio, especialmente pela redução das suas perdas por reações laterais indesejáveis durante o branqueamento. O estudo foi todo realizado em laboratório, em equipamentos que simulavam o mais próximo possível os processos industriais, para aproximar os resultados daqueles que seriam obtidos industrialmente. A tecnologia proposta contribui reduzindo o custo total do branqueamento, sem prejuízos na qualidade da polpa e do efluente gerado.”


Tema: Uma Nova Visão do Branqueamento de Polpa Kraft de Eucalipto com Ozônio em Média Consistência
Valéria Juste Gomes, doutoranda em Agroquímica – Celulose e Papel, Laboratório de Celulose e Papel da Universidade Federal de Viçosa (UFV)

“A tecnologia de branqueamento com ozônio tem sido empregada desde os anos 1990, quando surgiu a pressão ambiental e o uso de sequências totalmente livres de compostos à base de cloro (TCF – Total Chlorine Free), livres de cloro elementar (ECF – Elemental Chlorine Free) e com baixíssimas quantidades de dióxido de cloro (ECF-light). O branqueamento com ozônio é uma tecnologia reconhecidamente apropriada para atender a estes processos, mas sofre de ineficiências que ainda precisam ser resolvidas. A iniciativa de realizar este trabalho foi no sentido de melhorar a eficiência do ozônio, especialmente pela redução das suas perdas por reações laterais indesejáveis durante o branqueamento. O estudo foi todo realizado em laboratório, em equipamentos que simulavam o mais próximo possível os processos industriais, para aproximar os resultados daqueles que seriam obtidos industrialmente. A tecnologia proposta contribui reduzindo o custo total do branqueamento, sem prejuízos na qualidade da polpa e do efluente gerado.”

 



voltar